Nanoarte premiada

Até parece uma colmeia fotografada de pertinho, mas trata-se na verdade de uma amostra de óxido de alumínio manipulada em escala nanométrica (bilionésimo de metro). Para vê-la, somente usando um microscópio eletrônico de varredura de alta resolução ou de força atômica. A obra, batizada como “Net-like”, foi produzida pelo químico Ricardo Tranquilin e ficou em segundo lugar na IV Mostra Internacional On-line de Nanoarte 2009-2010 (http://nanoart21.org), organizada pela Universidade de Nova York. O evento contou com a participação de artistas de 16 países. Tranquilin é técnico em microscopia do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia dos Materiais em Nanotecnologia, com sede no Instituto de Química da Unesp de Araraquara, e também doutorando pela Faculdade de Ciências, câmpus de Bauru. No total, a equipe brasileira enviou 15 imagens.

___________________

 

Deixe uma resposta

*