Frankenstein: entre literatura e ciência

célebre personagem Frankenstein apareceu pela primeira vez em 1818 no romance Frankenstein; or, The Modern Prometheus, de Mary Shelley. Ele nem recebe esse nome no livro, sendo denominado “criatura”, “demônio”, “espectro”, “desgraçado”, “diabo”, “coisa”, “ser” e “ogro”, mas acabou incorporando o nome de seu idealizador, Victor Frankenstein.

Esta edição da revista unespciência, além de contar um pouco sobre este ser que está na fronteira entre a literatura e a ciência, enfoca ações sobre conhecimentos específicos e pedagógicos sobre insetos; os 70 anos da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL); o método científico de investigação; o patrimônio histórico na cidade paulista de Cândido Mota; a tecnologia de informação e o vácuo do Brasil nos debates globais.

Na edição online (www.unespciencia.com.br),  temos reflexões sobre os 50 anos do emblemático ano de 1968, nas Ciências Sociais e na Física de Altas Energias; o perigo de acidentes com escorpiões; os detalhes da operação da máfia italiana; uma homenagem ao Dia dos Bibliotecários; uma análise do filme O destino de uma nação, que trata de Winston Churchill; e os 10 anos de videoclipes interativos.

Assim como o livro de Mary Shelley, esta revista traz a possibilidade de refletir sobre os sentidos e significados da ciência no passado, de conhecer melhor o que é feito no presente e de prospectar e tentar construir nossos passos futuros.

Boa leitura!

_____________

Deixe uma resposta

*