Políticas protecionistas dos EUA

Pensar a respeito dos motivos que levam à consolidação de políticas agrícolas protecionistas tem papel fundamental para o Brasil, expoente nas relações internacionais como potência do agronegócio e referência para a pequena agricultura familiar. É este caminho que Thiago Lima trilha em O protecionismo agrícola nos Estados Unidos: Resiliência e economia política dos complexos agroindustriais, lançamento da Editora Unesp, quando pretende mergulhar na política de protecionismo agrícola norte-americana, com atenção especial à proteção levada a cabo na forma de subsídios.

“Com efeito, apesar de apresentarem-se sempre como os grandes campeões do livre-comércio, os Estados Unidos têm se negado sistematicamente a desmontar o seu amplo e complexo sistema de subsídios agrícolas, mesmo que essa atitude se traduza em desgaste no relacionamento com parceiros comerciais e aliados políticos”, escreve Sebastião Velasco e Cruz, no Prefácio.

Ao longo de seis capítulos, Lima constrói um poderoso argumento teórico, congregando conhecimentos de diversas vertentes da ciência política e palmilha caminhos da sociologia econômica, economia agrícola e história socioeconômica da agroindústria nos Estados Unidos. Paralelo a isso, sublinha Paris Yeros, da UFABC, na orelha do livro, o autor ainda analisa “de maneira inédita, a diversidade de funções que o setor agrícola passou a cumprir justamente nos Estados Unidos, centro da economia mundial pós-guerra”.
O livro integra a Coleção Estudos Internacionais, com mais de 20 livros dedicados ao estudo de grandes temas da área ligados à política, à economia e à sociedade.

_____________

Deixe uma resposta

*