Cidades médias espelham o país

O Brasil tem experimentado profundas mudanças, provocadas por sua inserção no processo de globalização econômica. Tais transformações afetam diretamente as redes urbanas formadas por grandes, médias e pequenas cidades do país.

Esta edição destaca os estudos feitos pelo Grupo de Pesquisa Produção do Espaço e Redefinições Regionais (GAsPERR), da Faculdade de Ciências e Tecnologia do câmpus da Unesp em Presidente Prudente, que vem analisando a urbanização contemporânea em cidades médias. O artigo, que resume os trabalhos da equipe, focaliza as cidades de Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, São Carlos, Marília e Presidente Prudente, no Estado de São Paulo, e Londrina, no Paraná. O texto aponta como o consumo de bens e serviços reorganiza esses espaços, consolidando aspectos como a acentuada desigualdade socioeconômica brasileira.

A edição também apresenta reportagem sobre um novo pró-fármaco que já demonstrou uma significativa eficácia no combate ao HCV, o vírus causador da hepatite C. As investigações, que envolvem a colaboração do Laboratório de Síntese e Estudos de Biomoléculas (LASEBIO), do Instituto de Química, câmpus da Unesp em Araraquara, e o Laboratório de Estudos Genômicos (LEGO), do câmpus de São José do Rio Preto, levaram ao desenvolvimento de um composto que também demonstra grande potencial contra outras doenças, desde a zika e a febre amarela até o câncer.

Outro trabalho focalizado é o promovido no Laboratório de Cupins do câmpus de Rio Claro. Entre suas pesquisas, a equipe analisa espécies de cupins cujos membros, em defesa de suas colônias, agem como verdadeiros camicases, “explodindo” e liberando substâncias letais para formigas e cupins inimigos.

Este número da unespciência traz ainda o estudo desenvolvido por pesquisadores do câmpus do Litoral Paulista da Unesp, da University of Western Australia, da USP e da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, que utilizaram técnicas de estereovídeo para quantificar o efeito de áreas protegidas nas comunidades de peixes desses locais. As descobertas do grupo mostram que as áreas protegidas mais distantes da influência humana e com maior complexidade topográfica tendem a ter maior abundância de peixes.

Enfim, mais uma vez, esta edição busca demonstrar a diversidade e a importância dos trabalhos realizados na Unesp.

_____________

 

 

Deixe uma resposta

*